Arquivos da Categoria: destaque

Os impactos do turismo

O rápido crescimento do Turismo, a partir dos anos 50, resultou na degradação ambiental de inúmeros recursos turísticos em todo o mundo. Os indicadores apontam um crescimento contínuo da atividade, de cerca de 4% a 5% ao ano, e, consequentemente, os impactos sobre o meio ambiente também se intensificam. Esse risco, reconhecido pela maioria dos governos dos países receptores de turistas, estimulam iniciativas que proporcionem tanto uma evolução dos aspectos favoráveis do Turismo como a proteção ambiental.

Como o meio ambiente constitui um elemento fundamental do Turismo, sua “manutenção sadia” é essencial para a evolução da atividade. A avaliação dos impactos de toda ordem sobre o meio ambiente é extremamente difícil. O fato de o homem estar vivendo e modificando a Terra há milhares de anos torna difícil estabelecer uma base para medir as modificações. Em muitas destinações turísticas, o uso público ocorre há tanto tempo que é quase impossível compreender o meio ambiente sem os efeitos provocados pelo Turismo;

Muitos efeitos do Turismo sobre o meio ambiente resultam em processos ambientais normais, que ocorrem independentemente da ação do homem. Assim, as intempéries e a erosão são processos da natureza, porém, tornam-se mais intensos quando ocorrem em locais alterados pelo homem. Fica difícil determinar quando as alterações são provocadas pelo desenvolvimento turístico ou quando este constitui apenas um entre vários agentes modificadores.

Atualmente, a reflexão e a discussão sobre os impactos do Turismo sobre as localidades receptoras já ocorrem em amplos segmentos envolvidos com viagens turísticas e várias propostas têm surgido e sido levadas a efeito com relativo sucesso, no sentido de minimizar os impactos negativos, otimizar os positivos e enriquecer a experiência vivencial das pessoas que viajam em férias.

Neste sentido, a Organização Mundial do Turismo (OMT) junto com a empresa Ipsos realizou uma pesquisa onde observou que mais da metade da população global considera que o Turismo tem um impacto positivo na geração de riqueza e promoção de intercâmbios culturais, é o que revela uma pesquisa da Organização Mundial do Turismo (OMT) com a empresa Ipsos.

No levantamento on-line, que foi realizado em 15 países e teve como alvo 12 mil pessoas, 47% dos entrevistados acreditam que “vivem em cidades com um grande número de turistas” e 49% afirmam que deve haver medidas para melhorar a gestão do setor. Apenas 12% são favoráveis ao número de visitantes.

Para mais detalhes leia este post do PANROTAS:

https://www.panrotas.com.br/mercado/pesquisas-e-estatisticas/2019/01/populacao-global-acredita-em-impacto-positivo-do-turismo_161896.html?utm_campaign=panrotas_news_-_edicao_002889&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Vamos de bike?

Ate algum tempo atras, muitos não acreditavam que havia possibilidade de circulação seguro dos ciclistas no Brasil. No entanto, todos os dias novos adeptos descobrem o fascínio que a bicicleta pode ter em suas vidas, na preparação física, na sensação de bem estar, liberdade e autonomia. A exemplo de outros países (Japão, China, Holanda, Dinamarca etc.), onde as ciclovias e ciclofaixas são um suplemento básico para o transporte, esporte e lazer, cidades brasileiras estão implantando projetos para este sistema funcionar com o mesmo sucesso, incentivando cada vez mais pessoas à prática da modalidade.

As bikes são os veículos individuais mais utilizados no país, constituindo a unica alternativa ao alcance de todas as pessoas, não importando a renda, podendo ser usadas por aqueles que gozam de boa saúde, a partir da infância até a idade mais avançada. A Organização das Nações unidas (ONU) elegeu a bicicleta como o transporte ecologicamente mais sustentável do planeta.


Mais do que uma tendência ou hábito, trocar o carro por bike tem conquistado cada vez mais os brasileiros, mas já faz parte das políticas públicas em alguns países europeus. “Essas ações buscam solucionar problemas de mobilidade, promover a saúde da população e sanar as doenças das cidades dependentes de carro, como poluição, congestionamento e estresse.

Razoes para tirar a bike da garagem

 
Para você:
Praticar um esporte que faz bem para a saúde, permitindo que preste atenção ao corpo;
Melhora a disposição física para as atividades do dia a dia;
Melhora a autoestima e o humor;
Propicia liberdade e o sentimento frequente de recompensa;
É excelente para pequenas compras;
É de custo acessível;
É o mais prático meio de locomoção para pequenos trajetos.


Para a sociedade:
Diminui conflitos no trânsito;
Diminui a poluição;
Economiza espaço urbano;
Melhora todos os índices ambientais.

Como andar nas ruas com segurança


– O trânsito de bicicletas deve ser feito pelo lado direito da pista, próximo ao meio-fio e, quando em grupo, em fila única um atrás do outro;
– Nunca transitar sobre as calçadas;
– Nunca se agarrar na traseira ou lateral de outros veículos;
– Nunca se infiltrar em meio a veículos em movimento;
– Respeitar as faixas de pedestres;
– Obedecer sempre à sinalização de trânsito;
– Evite ruas muito movimentadas (grandes avenidas, rodovias);
– Cuidado com veículos estacionados, uma porta pode se abrir a qualquer momento!
– Atenção com saídas de garagem.

Dicas de segurança e trafego de bike veja aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=GcIKxkdMchc&feature=youtu.be&fbclid=IwAR0-chTtG0Mx7r7Ja-HR002m7EQVOaXlEEBV88e2sDX9UwQuaVoK_rjfJDU


– Use equipamentos de segurança: capacete, óculos ou viseira, cotoveleiras e joelheiras e roupas apropriadas, claras e coloridas.
– Equipe sua bicicleta com equipamentos obrigatórios de segurança, são eles: espelho retrovisor esquerdo, campainha, refletores (olhos de gato) dianteiro, traseiro e laterais. Sinalize com a mão sempre a intenção de realizar alguma manobra.

E o projeto “Corredores Sustentáveis Planície Entremares”?

O projeto esta rolando a todo vapor. Neste domingo teve a primeira bicicletada do projeto que contou com vários dos nossos anfitriões. Para ficar por dentro de tudo que esta acontecendo se inscreva aqui:

https://www.facebook.com/events/1008924532638561/permalink/1022215814642766/

E a @bicicletada apareceu na RIC TV. Veja aqui os nossos colegas pedalando:

https://www.youtube.com/watch?v=B5yEiW8SwWY&fbclid=IwAR3pvuu1clyOJW94c9C1x3qK6kjsVOAbAxbaZYbcOSdrbkhxIO67AVhmd3Y

As tendências de viagem em 2019

O ano novo começa cheio de expectativas para quem trabalha com hospedagem e hospitalidade. Mas junto com as expectativas é importante abrir o olho para as tendências que rondam o setor de viagem e turismo e trabalhar duro em ações para acompanhar os indicadores do mercado.

Assim, para avaliar estas tendencias a Booking.com analisou mais de 163 milhões de avaliações de hóspedes e pesquisas com 21.500 viajantes em 29 países, buscando entender o que os viajantes esperam em 2019, e descobriu 8 grandes tendências de viagens para 2019:

  1. Lições de vida
  2. Praticidade
  3. Viagens espaciais
  4. Praticidade no consumo de informações
  5. Viagens concientes
  6. Sustentabilidade
  7. Experiencias

Para saber mais detalhes das tendencias 2019 confira este post do Blog HOSPEDIN:

http://blog.hospedin.com/8-tendencias-de-viagem-para-2019/?utm_campaign=58_-_newsletter_semanal__hospedin&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Pesquisa do Booking.com indica que banheiro é prioridade para brasileiros na avaliação de uma hospedagem

Cada pessoa tem uma rotina ao iniciar uma hospedagem num local onde nunca esteve. Alguns se preocupam com a vista da janela, com o espaço dos armários, com o tamanho da cama ou com os entretenimentos na TV. Mas para o brasileiro, no entanto, nada é mais importante do que o banheiro. Essa foi uma das tendências notadas pela Booking.com em pesquisa recente sobre o mercado nacional.

O principal fator para a satisfação com a hospedagem durante uma viagem é a limpeza e o conforto do banheiro. Essa foi a resposta de 91% dos viajantes brasileiros. O quesito limpeza e conforto é definitivamente crucial, sendo repetido também na análise do quarto, para 87%. Seguem em importância para o brasileiro o café da manhã (65%), uma paisagem agradável (55%) e wi-fi na acomodação (45%).

Mais detalhes desta pesquisa leia o post da PANROTAS no link abaixo:

https://www.panrotas.com.br/hotelaria/mercado/2018/12/banheiro-e-prioridade-do-brasileiro-ao-avaliar-hospedagem_160760.html?utm_campaign=panrotas_news_-_edicao_002849&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

O Booking.com esta copiando o Airbnb?

Desde fevereiro de 2018, o Priceline Group adotou o nome de seu principal player e passou a ser chamado de Booking Holdings. Essa mudança, de acordo com o CEO da companhia, Glenn Fogel, aconteceu para que o mercado e investidores entendessem de maneira instantânea os negócios da marca. A expressão booking da holding, porém, não deverá se ater apenas à hotelaria para sempre. O full-service vem aí.

Fogel subiu ao palco da Phocuswright Conference 2018, realizada na Califórnia, e deixou claro que a empresa quer ser mais do que apenas uma plataforma de reserva de hotéis. Em um futuro não muito distante, o botão booking da plataforma deverá, também, representar todas os produtos turísticos, de voos a atividades e atrações.

“Queremos que o viajante tenha toda a viagem provida por nós. Com certeza, isso inclui agregar venda de bilhetes aéreos”, disse Fogel sem dar muitas pistas sobre quando e como essas novidades deverão começar a surgir.

O que também foi confirmado pelo CEO é o foco no mercado de casas férias (Vacation Rental, em inglês) e resorts de praia. “Ainda não somos os maiores nestes segmentos, mas queremos chegar lá e estamos caminhando em busca disso”.

Em notícia recente divulgado pelo portal Tnooz, executivos da Booking.com revelaram diversas mudanças na plataforma, que visam facilitar a prática do aluguel por temporada no site, poupar tempo dos proprietários e definir quem deve ou não reservar sua propriedade.

O vice-presidente da Booking.com, Olivier Grémillon, diz que a empresa desenvolveu essas ferramentas baseadas em reviews de profissionais do ramo do aluguel que anunciam e administram milhões de acomodações disponíveis no site.

HOSPEDANDO NÔMADES DIGITAIS

Nômades digitais são empresários e profissionais que comumente trabalham como escritores freelancers, fotógrafos, designers, desenvolvedores de software e qualquer outro tipo de trabalhador do conhecimento que possa realizar suas tarefas independente de sua localização física.  Fazem uso de novas tecnologias como internet wireless, smartphones e aplicativos de computação em nuvem para conduzir seus negócios, trabalhar remotamente e produzir renda de onde quer que estejam vivendo ou viajando.

Assim, é um profissional que pode trabalhar de casa, numa cafeterias, bibliotecas ou coworking para cumprir tarefas e objetivos que tradicionalmente seriam realizados numa posição fixa de trabalho.

Quase todas as atividades profissionais do nômade digital  funcionam em cloud, sendo possível trabalhar a partir de qualquer lugar do mundo de forma remota.

Estes nômades contemporâneos  podem ser divididos em três grupos: freelancer (trabalham para clientes e ainda trocam o tempo por dinheiro); empreendedores (criam produtos ou serviços rentáveis mas trabalham de qualquer lugar); e trabalhadores remotos (funcionários normais, mas com um tipo de trabalho que pode ser feito de qualquer lugar).

Atualmente, por volta 2 milhões de brasileiros já trabalham em home office. A  possibilidade de trabalhar remotamente tem feito com que muitas pessoas optem por conciliar a rotina profissional com a de viagens. Afinal, é possível atuar a partir de casa ou de qualquer lugar no mundo que tenha banda larga.

Desta forma, essas pessoas podem representar um grande potencial para o aluguel de temporada. Portanto, é possível ter uma renda recorrente a partir desse tipo de reserva, pois os nômades digitais costumam ficar de um a três meses em cada cidade.

Outra característica dos nômades digitais é que eles buscam a baixa temporada das cidades em razão da economia de custos e pelo fato de ter menos turistas circulando. Esse é um ponto bem favorável para aumentar a taxa de ocupação dos seus imóveis na baixa temporada.

Para saber mais dá uma olhadinha neste  post super legal publicado pelo Stays Blog:

http://stays.net/blog/nomades-digitais-para-o-aluguel-de-temporada/?utm_campaign=nomades_digitais_estao_pesquisando_os_seus_imoveis&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Os viajantes acima dos 60 anos

A população idosa no Brasil está crescendo. Segundo relatório do Banco Mundial, em 2050 a estimativa é que 65 milhões de brasileiros tenham mais de 60 anos. Além de viver mais, os brasileiros estão vivendo melhor, com mais qualidade de vida e querendo conhecer cada vez mais os destinos turísticos brasileiros.

Para esta faixa etária segundo o estudo Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, do Ministério do Turismo (2017), nos próximos seis meses, 25,4% dos brasileiros na faixa etária acima de 60 anos pretendem viajar. Deste total, a maioria (59,9%) informou que deverá optar por destinos domésticos. Na hora de fazer turismo, os viajantes com mais de 60 anos têm optado por fazer o passeio acompanhados (84%) e apenas 15% disseram que deverão fazer a próxima viagem sozinhos.

Ainda de acordo com o levantamento do Ministério do Turismo, o avião continua sendo o principal meio de locomoção (76,3%), seguido de automóvel (16,8%) e ónibus (6,2%). Hotéis e pousadas (64,8%) são os meios de hospedagem favoritos, seguido da casa de parentes e amigos (27%).

Já o Airbnb registrou um crescimento de 93% no número de viajantes da categoria sênior (com 60 anos ou mais) em setembro de 2018 frente ao mesmo período do ano passado. Este alavancamento demonstra a não totalidade de domínio dos millennials na tecnologia das plataformas de aluguel de temporada. Isto no Brasil ainda é  mais evidente, chegando a 66% de uso das OTAs (Online Travel Agencies) pelas pessoas acima de 60 anos, percentagem maior do que a média mundial de usuários da plataforma nesta faixa etária.

Os viajantes sêniors Airbnb preferem viajar em grupos – de família ou amigos – e fazem viagens mais longas do que outras faixas etárias: mais de cinco dias nos destinos domésticos e oito dias fora do país. A viagem doméstica é predominante: representa 53% das reservas, com destaque para São Paulo (30%), à frente do Rio, com 26%, e de Florianópolis (13%). Entre os destinos internacionais, a Europa é a região de maior interesse, com destaque para Portugal (representando 34% das reservas internacionais de sêniors brasileiros, com destaque para Lisboa e Porto) e Itália (16%).

Outro dado importante,  os anfitriões brasileiros com 60 anos ou mais, são os quem recebem as melhores avaliações dos hóspedes, com 85% de avaliação cinco estrelas. A maioria deste grupo de anfitriões é composta por mulheres (57%). Os anfitriões sêniors também ganham mais anualmente: R$ 6 mil, enquanto a renda anual dos anfitriões típicos de todas as idades é de R$ 5,5 mil.

Para saber mais detalhes leia o post da PANROTAS:

https://www.panrotas.com.br/mercado/pesquisas-e-estatisticas/2018/10/viajantes-com-60-anos-ou-mais-lideram-alta-no-airbnb_159241.html

E também o post do Airbnb:

https://press.airbnb.com/br/viajantes-com-60-anos-ou-mais-lideram-crescimento-no-airbnb/

As principais mudanças no Alugue Temporada que já estão funcionando

O AlugueTemporada (www.aluguetemporada.com.br) faz parte da família HomeAway, líder mundial em aluguel por temporada. Plataforma onde viajantes encontram imóveis para passar as férias, feriados ou finais de semana. E onde proprietários podem anunciar seus imóveis para serem exibidos para mais de 2 milhões de viajantes brasileiros por mês e mais de 44 milhões de viajantes de todo o mundo. A missão da empresa é fazer cada imóvel por temporada no mundo acessível para qualquer viajante. Com mais de 1 milhão de imóveis em 190 países, a plataforma esta comprometida em ajudar eventuais hospedes a encontrarem espaço de férias ideal para viagens inesquecíveis.

É provável que quem mantenha algum anúncio no site Alugue Temporada tenha recebido em julho um e-mail anunciando algumas mudanças operacionais. Assim, muitas das alterações já estão valendo desde o início de agosto e são várias, tanto para o anfitrião quanto para o viajante.

A principal alteração diz respeito à possibilidade de parcelamento em até 12 vezes sem juros o valor das diárias para os hospedes, sendo que os anfitriões recebem os valores da transação, que passam a acontecer completamente dentro da plataforma, de uma só vez.

Já com  17 anos de operação, essas empresa  que integra o grupo Homeway, comprado em 2015 pelo Expedia (grupo americano de turismo que ainda detém as marcas Hoteis.com e Trivago, por exemplo). “As mudanças são muitas, mas o objetivo é um só: trazer mais reservas para seu imóvel, com uma experiência simples e eficiente.

Entra as diversas mudanças estão parcelamento do pagamento em até 12 vezes, as transações financeiras feitas diretamente no site, ferramentas de gestão, anuncio gratuito, contratos anuais, etc.

Para checar as mudanças em detalhes veja o post publicado pelo Stays blog:

http://stays.net/blog/alugue-temporada-mudancas-anunciadas/?utm_campaign=mudancas_no_alugue_temporada_ja_estao_valendo&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

 

TRABALHANDO COM RESERVAS DIRETAS

Com o surgimento das OTAs (Online Travel Agencies) hoteleiros e anfitriões do mundo inteiro se viram à frente de um impasse: diminuir a rentabilidade e vender mais, ou manter uma taxa de ocupação mediana com maiores vendas diretas.

Mas as OTAs nasceram para transformar o mercado de hospedagem, e juntamente com elas apareceram diversas coisas boas, e outras nem tanto.

O principal objetivo das OTAs é entregar para o hóspede exatamente o que ele procura: hóspedes, e assim facilitar o processo de venda. As OTAs investem pesado em marketing para conquistar adeptos que as utilizem sempre que precisam fazer uma reserva.

Mas quando a gente quer fazer uma reserva lembra de quem? De consultar primeiro o Booking.com, claro. E mais recentemente Airbnb também se tornou um referencial em termos de busca de hospedagem.

O Booking.com está entre os maiores canais de venda do mundo, junto com Expedia e Decolar. E a sensação que predomina no momento é a de que o hoteleiro ou anfitrião que não está vendendo no Booking, está perdendo dinheiro.

Nos últimos anos, as reservas diretas vem ganhando força e travando uma batalha contra as OTAs. Mas para entrar na guerra e fazer bonito, é preciso entender sobre o assunto.

Reserva direta nada mais é do que atrair o cliente para que este efetue a compra diretamente com o seu meio de hospedagem. O que pode ser feito por telefone, e-mail, mas principalmente através do site do hotel.

Assim, o blog HOSPEDIN elaborou um Guia Completo dobre Reservas Diretas para ajudar os hoteleiros a fazer um trabalho direto com maior taxa de lucros. Lá tem muitas dicas interessante que também pode ser úteis para nos anfitriões de aluguel de temporada.

È um texto longo mas vale a pena ler ate o final. Confiram lá:

http://blog.hospedin.com/reservas-diretas/

 

Pesquisa do Booking.com sobre viajantes brasileiros neste verão

Falta pouco para temporada do verão e os brasileiros já estão preparando as malas para viajar, certo? Errado. Uma pesquisa lançada hoje pela Booking.com, em evento realizado com a imprensa em São Paulo, constatou que apenas 17% dos turistas estão com viagem marcada e comprada.

A diferença desse percentual é gritante quanto comparada aos 48% dos brasileiros que sequer começaram a planejar suas férias, deixando clara a ideia de que historicamente deixamos tudo – inclusive viajar – para a última hora. O material foi coletado com base em entrevistas feitas com 1.018 pessoas das cinco regiões do País.

As agências de viagens on-line (OTA, em inglês) buscou traçar o perfil e as preferências dos nossos viajantes para entender como eles se comportam na estação mais quente do ano. O verão é a estação favorita para quase metade (48%) dos entrevistados, enquanto essa quantidade aumenta para o público millennial (56%), classificado por eles como pessoas de 18 a 24 anos.

Mas por que os brasileiros escolhem o verão para viajar? A principal resposta é menos trabalho e mais disponibilidade (49%). Logo na sequência figuram a disponibilidade de pessoas para acompanhar na experiência (38%) e época de férias escolares para viajar com filhos (31%). Esses pensamentos tornam claro que são poucos os que se aventuram em viagens solo no verão, com apenas 8% de representatividade, aponta a Booking.com.

Leia mais no site da PANROTAS:

https://www.panrotas.com.br/mercado/pesquisas-e-estatisticas/2018/11/conheca-raio-x-completo-do-turista-brasileiro-para-o-verao_160128.html?utm_campaign=panrotas_news_-_edicao_002830&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

« Entradas mais Antigas