Arquivos da Categoria: Sem categoria

Os impactos do turismo

O rápido crescimento do Turismo, a partir dos anos 50, resultou na degradação ambiental de inúmeros recursos turísticos em todo o mundo. Os indicadores apontam um crescimento contínuo da atividade, de cerca de 4% a 5% ao ano, e, consequentemente, os impactos sobre o meio ambiente também se intensificam. Esse risco, reconhecido pela maioria dos governos dos países receptores de turistas, estimulam iniciativas que proporcionem tanto uma evolução dos aspectos favoráveis do Turismo como a proteção ambiental.

Como o meio ambiente constitui um elemento fundamental do Turismo, sua “manutenção sadia” é essencial para a evolução da atividade. A avaliação dos impactos de toda ordem sobre o meio ambiente é extremamente difícil. O fato de o homem estar vivendo e modificando a Terra há milhares de anos torna difícil estabelecer uma base para medir as modificações. Em muitas destinações turísticas, o uso público ocorre há tanto tempo que é quase impossível compreender o meio ambiente sem os efeitos provocados pelo Turismo;

Muitos efeitos do Turismo sobre o meio ambiente resultam em processos ambientais normais, que ocorrem independentemente da ação do homem. Assim, as intempéries e a erosão são processos da natureza, porém, tornam-se mais intensos quando ocorrem em locais alterados pelo homem. Fica difícil determinar quando as alterações são provocadas pelo desenvolvimento turístico ou quando este constitui apenas um entre vários agentes modificadores.

Atualmente, a reflexão e a discussão sobre os impactos do Turismo sobre as localidades receptoras já ocorrem em amplos segmentos envolvidos com viagens turísticas e várias propostas têm surgido e sido levadas a efeito com relativo sucesso, no sentido de minimizar os impactos negativos, otimizar os positivos e enriquecer a experiência vivencial das pessoas que viajam em férias.

Neste sentido, a Organização Mundial do Turismo (OMT) junto com a empresa Ipsos realizou uma pesquisa onde observou que mais da metade da população global considera que o Turismo tem um impacto positivo na geração de riqueza e promoção de intercâmbios culturais, é o que revela uma pesquisa da Organização Mundial do Turismo (OMT) com a empresa Ipsos.

No levantamento on-line, que foi realizado em 15 países e teve como alvo 12 mil pessoas, 47% dos entrevistados acreditam que “vivem em cidades com um grande número de turistas” e 49% afirmam que deve haver medidas para melhorar a gestão do setor. Apenas 12% são favoráveis ao número de visitantes.

Para mais detalhes leia este post do PANROTAS:

https://www.panrotas.com.br/mercado/pesquisas-e-estatisticas/2019/01/populacao-global-acredita-em-impacto-positivo-do-turismo_161896.html?utm_campaign=panrotas_news_-_edicao_002889&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Vamos de bike?

Ate algum tempo atras, muitos não acreditavam que havia possibilidade de circulação seguro dos ciclistas no Brasil. No entanto, todos os dias novos adeptos descobrem o fascínio que a bicicleta pode ter em suas vidas, na preparação física, na sensação de bem estar, liberdade e autonomia. A exemplo de outros países (Japão, China, Holanda, Dinamarca etc.), onde as ciclovias e ciclofaixas são um suplemento básico para o transporte, esporte e lazer, cidades brasileiras estão implantando projetos para este sistema funcionar com o mesmo sucesso, incentivando cada vez mais pessoas à prática da modalidade.

As bikes são os veículos individuais mais utilizados no país, constituindo a unica alternativa ao alcance de todas as pessoas, não importando a renda, podendo ser usadas por aqueles que gozam de boa saúde, a partir da infância até a idade mais avançada. A Organização das Nações unidas (ONU) elegeu a bicicleta como o transporte ecologicamente mais sustentável do planeta.


Mais do que uma tendência ou hábito, trocar o carro por bike tem conquistado cada vez mais os brasileiros, mas já faz parte das políticas públicas em alguns países europeus. “Essas ações buscam solucionar problemas de mobilidade, promover a saúde da população e sanar as doenças das cidades dependentes de carro, como poluição, congestionamento e estresse.

Razoes para tirar a bike da garagem

 
Para você:
Praticar um esporte que faz bem para a saúde, permitindo que preste atenção ao corpo;
Melhora a disposição física para as atividades do dia a dia;
Melhora a autoestima e o humor;
Propicia liberdade e o sentimento frequente de recompensa;
É excelente para pequenas compras;
É de custo acessível;
É o mais prático meio de locomoção para pequenos trajetos.


Para a sociedade:
Diminui conflitos no trânsito;
Diminui a poluição;
Economiza espaço urbano;
Melhora todos os índices ambientais.

Como andar nas ruas com segurança


– O trânsito de bicicletas deve ser feito pelo lado direito da pista, próximo ao meio-fio e, quando em grupo, em fila única um atrás do outro;
– Nunca transitar sobre as calçadas;
– Nunca se agarrar na traseira ou lateral de outros veículos;
– Nunca se infiltrar em meio a veículos em movimento;
– Respeitar as faixas de pedestres;
– Obedecer sempre à sinalização de trânsito;
– Evite ruas muito movimentadas (grandes avenidas, rodovias);
– Cuidado com veículos estacionados, uma porta pode se abrir a qualquer momento!
– Atenção com saídas de garagem.

Dicas de segurança e trafego de bike veja aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=GcIKxkdMchc&feature=youtu.be&fbclid=IwAR0-chTtG0Mx7r7Ja-HR002m7EQVOaXlEEBV88e2sDX9UwQuaVoK_rjfJDU


– Use equipamentos de segurança: capacete, óculos ou viseira, cotoveleiras e joelheiras e roupas apropriadas, claras e coloridas.
– Equipe sua bicicleta com equipamentos obrigatórios de segurança, são eles: espelho retrovisor esquerdo, campainha, refletores (olhos de gato) dianteiro, traseiro e laterais. Sinalize com a mão sempre a intenção de realizar alguma manobra.

E o projeto “Corredores Sustentáveis Planície Entremares”?

O projeto esta rolando a todo vapor. Neste domingo teve a primeira bicicletada do projeto que contou com vários dos nossos anfitriões. Para ficar por dentro de tudo que esta acontecendo se inscreva aqui:

https://www.facebook.com/events/1008924532638561/permalink/1022215814642766/

E a @bicicletada apareceu na RIC TV. Veja aqui os nossos colegas pedalando:

https://www.youtube.com/watch?v=B5yEiW8SwWY&fbclid=IwAR3pvuu1clyOJW94c9C1x3qK6kjsVOAbAxbaZYbcOSdrbkhxIO67AVhmd3Y

O aluguel de temporada pode ser proibido? O que diz a legislação brasileira?

O aluguel por temporada é uma modalidade de locação que conquista cada vez maior espaço no cenário do turismo brasileiro, tanto entre os anfitriões, que enxergam nessa prática uma boa oportunidade de renda extra, como para os hospedes, que desfrutam da possibilidade de se ter uma boa experiência de estadia, com varias comodidades e conforto, por um preço mais acessível .

Apesar de ser uma prática já consolidada na Europa, Asia e na America do Norte; em território nacional, o tema ainda é tratado como novidade, e por isso, é comum que hajam confusões a respeito dessa modalidade de locação. E não são raros os surgimentos de casos de cidades brasileiras que tentam limitar ou proibir a prática do aluguel por temporada.

Um caso emblematico aconteceu em 2017 em Ubatuba-SP, onde a prefeitura resolveu se impor frente aos alugueis por temporada; sob a justificativa de promover uma “maior segurança e arbitrariedade ao negócio”. A medida da prefeitura de Ubatuba consistia em criar uma série de regras e limites sobre a prática dessa modalidade do aluguel, o que inviabilizaria completamente o aluguel de imóveis por temporada na cidade, segundo os locadores. Segundo as regras, o aluguel por temporada só seria permitido na cidade, caso os locadores obtivessem um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ); licença de saneamento; cadastro no Ministério do Turismo; seguro de responsabilidade; entre outros.

Mas felizmente, em 18 de dezembro de 2018, a câmara municipal de Ubatuba, aprovou a regulamentação do aluguel por temporada. Por esta regulamentação, os proprietários dos imóveis podem eles poderão continuar realizando suas locações por temporada sem cadastros municipais, e ainda, amparados pela Lei Federal do Inquilinato.

Para saber mais detalhes destas tentativa de bloqueia da atividade de locação por aluguel de temporada leia es Boletim de Noticias da CONJUR:

https://www.conjur.com.br/2018-jul-17/marcelo-frullani-condominio-nao-proibir-locacao-airbnb

Assim, mesmo após algumas tentativas de intervenção da locação por temporada por parte de municípios e condomínios, a modalidade é resguardada integralmente pela Lei do Inquilinato e pelo Direito de Propriedade; que asseguram a liberdade de poder disponibilizar e anunciar os espaços de seu imóvel para locação a terceiros.


O que diz a lei do Inquilinato?

A Lei do Inquilinato explica detalhadamente todos os direitos de proprietários ao se alugar por temporada quando define:

“Considera-se locação para temporada aquela destinada à residência temporária do locatário, para prática de lazer, realização de cursos, tratamento de saúde, feitura de obras em seu imóvel, e outros fatos que decorrem tão-somente de determinado tempo, e contratada por prazo não superior a noventa dias, esteja ou não mobiliado o imóvel.”

E o que diz o Código Civil a respeito do Direito de Propriedade?

O Direito de Propriedade determina que o ato de alugar seu próprio imóvel para um locatário por temporada é um direito incontestável garantido por lei conforme o artigo 1.228 do Código Civil impõe que:

“o proprietário tem a faculdade de usar, gozar e dispor da coisa, e o direito de reavê-la do poder de quem injustamente a possua ou detenha”

Já o artigo 1.335, inciso I, garante aos proprietários o direito de “usar, fruir e livremente dispor das suas unidades”.

É claro que através das reuniões e convenções de condomínio podem-se determinar regras que os locatários devem cumprir ao se hospedarem nos imóveis de temporada, porém, jamais a prática do aluguel pode ser impedida por alguém, já que é um direito do proprietário previsto na legislação.

Para saber mais sobre este tema leia o posta da HOSPEDIN clicando aqui:

https://blog.gohouse.com.br/legislacao-do-aluguel-por-temporada/P

As tendências de viagem em 2019

O ano novo começa cheio de expectativas para quem trabalha com hospedagem e hospitalidade. Mas junto com as expectativas é importante abrir o olho para as tendências que rondam o setor de viagem e turismo e trabalhar duro em ações para acompanhar os indicadores do mercado.

Assim, para avaliar estas tendencias a Booking.com analisou mais de 163 milhões de avaliações de hóspedes e pesquisas com 21.500 viajantes em 29 países, buscando entender o que os viajantes esperam em 2019, e descobriu 8 grandes tendências de viagens para 2019:

  1. Lições de vida
  2. Praticidade
  3. Viagens espaciais
  4. Praticidade no consumo de informações
  5. Viagens concientes
  6. Sustentabilidade
  7. Experiencias

Para saber mais detalhes das tendencias 2019 confira este post do Blog HOSPEDIN:

http://blog.hospedin.com/8-tendencias-de-viagem-para-2019/?utm_campaign=58_-_newsletter_semanal__hospedin&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

1@ Bicicletada “Corredores Sustentáveis” Planície entremares

A proposta:

A Bicicletada tem como propósito convidar a população da Ilha
e entorno para a reflexão sobre o bem-estar. Temas como
Mobilidade, uso de bike, Ciclofaixa, espaços compartilhados,
etc, são a base para construir mudanças positivas em nossa
cidade.
Traga sua família!!!

Roteiro:
Total de 10 km
Multi/Rua Elpidio da Rocha/Av. Campeche/Praia do Campeche/Av
Pequeno Príncipe / Rua da Capela/Av. Campeche/ Rua Pau de
Canela/SC 406/ Multi

Tempo aproximado para deslocamento em grupo misto:

1h 30min
Ciclovia apenas na Av. Pequeno Príncipe,
restante do trajeto em vias compartilhadas. (conforme
mapa/foto do evento)

Inscrição:

Base dessa atividade conforme evento desenvolvido no dia
14/12/2018 https://www.facebook.com/events/542851532847885/

Projeto Piloto:

“Corredores Sustentáveis” a ser desenvolvido desde
as rendeiras Osni Ortiga até o Trevo do Erasmo (cerca de 14
km) busca:
Abordar a temática do Corredor Ecológico Planície Entre Mares, com definições, área de abrangência,etc, baseado nos estudos de Mestrado de Talita Góes e demais abordagens;
Arborização das vias e entorno com o intuito de manter uma
conectividade biológica ao longo do corredor;
Tratar de temas como Mobilidade ( promovendo uso de Bike,
buscando junto ao IPUF a construção de uma ciclo faixa por
ser mais viável economicamente);
Reduzir velocidade do trecho para 40km/h pra compor uso
misto da faixa de tráfego;
Identificação com placas de “Carona Solidária” em locais
específicos, onde haja a possibilidade de parada sem
interromper o trânsito;
Identificação de locais que possam ser aproveitados como
“Pontos de Convivência”, embelezando com arte de rua e
equipamentos de ginástica e interação;
Ocupar ao longo de todo o trajeto com “Hortas Urbanas” de
uso coletivo;
Identificar locais para “Contar Histórias” sobre o sul da
ilha e Florianópolis, convidando artistas para expressarem a
história através da arte escrita, visual, grafite, etc;
Desenvolver o censo de pertencimento e desenvolvimento de
uma” Comunidade”, disposta a promover coletivamente temas
caros como Saúde , Educação, Bem-estar, Cultura;
Criar uma agenda de promoção de atividades Esportivas ao
longo do caminho, engajando os comerciantes e moradores da
região em destaque e entorno;
Aglutinar Associações de Bairro, Associações de Classes,
Comunidade, Comércios Locais,
Solicitar a implementação de uma linha de ônibus circular
“Corredor Sustentável”, que percorreria todo o trajeto a cada
hora, ajudando a integrar os bairros;
Buscar a cooperação das escolas da região em questão,
públicas e privadas, sejam elas do ensino curricular, de
Yoga, de filosofia, etc
E o tema do lixo? Seria interessante pensar no tema do lixo
localmente?
Calçamento do acostamento ao longo da via para uso dos
pedestres;
– O que mais?

Alguns dos Benefícios:
– Benefícios dessas mudanças é principalmente a maior
ocupação do espaço público e consequentemente aumento da
segurança; desenvolvimento de um censo de pertencimento da
Comunidade por promover o bem estar do coletivo;
– Caronas geram interações, laços, negócios, geram economia e
solidariedade, e nesse trecho o serviço de ônibus eh bem
restrito;
– A mobilidade pode melhorar significativamente se pensarmos
em uma solução global
– As crianças e jovens fazendo parte desse processo podem
desenvolver um olhar de mudança com um pensamento mais
ecológico;
– Apoio na criação de vagas de estacionamento para bikes nos
comércios locais;
– Desenvolvimento de uma política de sustentabilidade;
– E outras tantas ideias que podem aglutinar…

Parceiros já engajados:
– Clarice Araujo Cheuiche ( madrinha do projeto)
– Comunidade de Anfitriões
– Impact HUB Sul da ilha ( Márcio Cabral)
– Multi Open Shopping ( Clarissa Morais de Carvalho )
– Movimento Traços Urbanos ( Giovani Bonetti )
– Talita Laura Góes ( ECOLOGIA DA
PAISAGEM DA PLANÍCIE ENTRE MARES
NA ILHA DE SANTA CATARINA:
CONECTIVIDADE ENTRE FRAGMENTOS
DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE
CORREDORES ECOLÓGICOS,
título de Mestrado)
– Meu Copo Eco ( Larissa kroeff)
– AMOCAM ( Alencar Deck Vigano)
-Floripabikeexperience (Renato Kupper )

Veja reportagem da RIC TV:

Pesquisa do Booking.com sobre viajantes brasileiros neste verão

Falta pouco para temporada do verão e os brasileiros já estão preparando as malas para viajar, certo? Errado. Uma pesquisa lançada hoje pela Booking.com, em evento realizado com a imprensa em São Paulo, constatou que apenas 17% dos turistas estão com viagem marcada e comprada.

A diferença desse percentual é gritante quanto comparada aos 48% dos brasileiros que sequer começaram a planejar suas férias, deixando clara a ideia de que historicamente deixamos tudo – inclusive viajar – para a última hora. O material foi coletado com base em entrevistas feitas com 1.018 pessoas das cinco regiões do País.

As agências de viagens on-line (OTA, em inglês) buscou traçar o perfil e as preferências dos nossos viajantes para entender como eles se comportam na estação mais quente do ano. O verão é a estação favorita para quase metade (48%) dos entrevistados, enquanto essa quantidade aumenta para o público millennial (56%), classificado por eles como pessoas de 18 a 24 anos.

Mas por que os brasileiros escolhem o verão para viajar? A principal resposta é menos trabalho e mais disponibilidade (49%). Logo na sequência figuram a disponibilidade de pessoas para acompanhar na experiência (38%) e época de férias escolares para viajar com filhos (31%). Esses pensamentos tornam claro que são poucos os que se aventuram em viagens solo no verão, com apenas 8% de representatividade, aponta a Booking.com.

Leia mais no site da PANROTAS:

https://www.panrotas.com.br/mercado/pesquisas-e-estatisticas/2018/11/conheca-raio-x-completo-do-turista-brasileiro-para-o-verao_160128.html?utm_campaign=panrotas_news_-_edicao_002830&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Denuncia sobre hospedes por destruição de casa alugada no Airbnb

 

Uma noticia triste…

 

Publicado nas redes sociais e midia digital chega a gente uma noticia muito ruim para nos anfitriões de aluguel de temporada. Trata-se de vandalismo realizados por hospedes numa casa alugada via Airbnb em São Paulo. As informações ainda são muito incertas e precisam ser melhor confirmadas mas de qualquer forma fica como alerta os riscos que as vezes estamos expostos. Uma historia triste de destruição que aconteceu com um colega anfitrião de São Paulo.

Leia mais aqui..

https://universa.uol.com.br/noticias/redacao/2018/04/15/jogadores-armam-festa-em-casa-alugada-no-airbnb-e-local-fica-destruido.htm

 

UNIVERSA Uol

Artigos da legislação brasileira sobre o aluguel de temporada

Para quem trabalha com aluguel de temporada em condomínios sabe que estamos sempre sujeitos aos humores dos síndicos e sobre as ameaças veladas das assembleias e convenções de condomínio. Assim, o GT- Assessoria jurídica compilou os artigos no Código civil, Lei do Inquilinato e Constituição Brasileira que tratam dos Diretos de Propriedade. Apesar de poucos os artigos sobre o tema estes são muito importantes nos permite exercer nossas atividades em termos de hospedagem e aluguel de temporada dentro da legalidade.

Confira aqui:

ARTIGOS ALUGUEL TEMPORADA

 

Outra matéria interessante para leitura é um pequeno manual sobre “Dicas para a Boa Convivência em Condomínios” que o Airbnb lançou em 2017. Neste manual são apresentados algumas sugestões de praticas de boa convivência em condomínio e também algumas decisões judiciais sobre locação de temporada no Brasil.

Leia texto na integra aqui:

 

Dicas_para_a_Boa_Convivencia_2017

 

Visto eletrônico faz disparar interesse de turistas estrangeiros pelo Brasil

Um balanço dos primeiros 15 dias de implantação do visto eletrônico nos EUA, Japão, Canada e Austrália mostra crescimento de 70% dos pedidos em relação ao ano passado.

Os Estados Unidos são o segundo maior país emissor visto de turistas para o Brasil, ficando atrás somente da Argentina. Mas, enquanto cada argentino deixa US$ 50 por dia no País, os americanos gastam 73 dólares diários, em média. Atualmente, 550 mil norte-americanos visitam anualmente o Brasil. Mas esta procura pode aumentar rapidamente com a implantação do visto eletrônico. Esta ,é a expectativa de Terry Dale, presidente da USTOA, entidade que reúne as principais operadoras e agentes de viagens norte-americano.

Leia mais ….

VIsto eletrônico faz disparar interesse de norte-americanos pelo Brasil

 

Portal Fator Brasil

Terceira oficina do GT-Uso das Plataformas

A segunda oficina de uso da plataforma Airbnb que aconteceu no norte da Ilha na casa do Miguel foi um sucesso. Para que não conseguiu participar ainda tem uma ultima oportunidade pois a Sandra, nossa anfitriã do Centro, ofereceu seu espaço para terceira oficina.

Ainda da para se inscrever no link:

Terceira oficina uso das plataformas

E importante, em abril começa as oficinas sobre a plataforma Booking.com  na casa da Claudia (Lagoa) com a Mahana.

« Entradas mais Antigas